quinta-feira, 30 de julho de 2015

Os 9 meses dizem "Olá" ao peixe e ao ovo - a diversificação alimentar do bebé e o primeiro creme de salmão com espinafres

Os 9 meses são uma nova etapa na diversificação alimentar do bebé.

Depois da introdução dos sólidos aos 4 meses (ver, em detalhe, toda a informação sobre a diversificação alimentar aos 4 meses aqui ) e da introdução do glúten e dos iogurtes aos 6 meses (ver, em detalhe, toda a informação sobre a diversificação alimentar a partir dos 6 meses aqui), a partir de agora o FM vai comer peixe uma vez por dia e um (1) ovo por semana.

Na consulta dos 9 meses, a melhor pediatra do mundo e arredores, a querida P., deu luz verde ao peixe, ao ovo e às leguminosas (em bom rigor, as leguminosas seriam introduzidas aos 10 meses; contudo, como a P. disse "Se disser a um brasileiro que só dá feijão ao bebé aos 10 meses sou crucificada! Por isso, com cautela para ver se não há qualquer reação alimentar, podemos começar a introduzir depois dos 6 meses." Assim o fui fazendo).

Aqui ficam todas as dicas alimentares resultantes da consulta dos 9 meses:

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Cicatrizes que falam... Os adolescentes e a auto-mutilação


A adolescência é, para a maioria dos jovens, um período de emoções emaranhadas e sentimentos instáveis. Contudo, para alguns destes jovens, os dias são pintados com tons mais cinzentos, trazidos por situações de vida externas (como os abusos emocionais, famílias destruturadas, complicadas e/ou instáveis) ou por causas internas (como a baixa auto-estima, a depressão, problemas de comportamento alimentar, perturbação bipolar, …) .

A auto-mutilação pode emergir como uma forma de lidar com as pedras no caminho que, em alguns momentos, se tornam demasiado pesadas, constituindo um meio para expressar, em silêncio, as emoções a que não conseguem dar voz.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Shots de pera perfumados com limão e alfazema

Pêras, laranjas, figos e pêssegos abundam cá por casa!

Como é humanamente impossível conseguirmos comer toda a fruta do pomar, aproveito para a conservar através de compotas e purés (frescos e purés de fruta congelados para utilizar mais tarde).

A diversificação alimentar do bebé fez-me pensar em tornar as refeições do FM saborosas, saudáveis muito nutritivas.

A alfazema tem propriedades calmantes que ajudam a atenuar as cólicas dos bebés; a casca de limão liberta um aroma delicioso e é ótima para reforçar o sistema imunitário.

A "nossa" pediatra apenas "proibiu" a introdução do morango antes dos 12 meses de idade; contudo, se tiverem dúvidas sobre a utilização da casca do limão e da alfazema na alimentação dos bebés não deixem de perguntar ao vosso pediatra.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Creme de ervilhas


Ricas em ferro, zinco e fósforo, as ervilhas são um ótimo alimento para a sopa do bebé. 

As ervilhas são também são uma boa fonte de vitamina B alimentando o sistema nervoso central e periférico ajudando ainda a fortalecer o sistema imunitário e visão do bebé por serem ricas em vitamina A.

Um sopa muito saudável que, seguramente, fará as delícias do vosso bebé!

domingo, 12 de julho de 2015

Os avós também têm “quereres” e não só “deveres”


A consulta com a Júlia, avó

A Júlia é avó. Também é mãe, mas é avó, de dois netos, um rapaz e uma rapariga. Conta-me que costumam falar ao telefone, todas as semanas, mais do que uma vez e que a rapariga, de 10 anos almoça lá em casa quase todos os dias no tempo de aulas. O menino, de 4 anos, não fala muito ao telefone, mas adora quando a avó se senta no tapete com ele, enquanto fazem torres muito altas com as peças de madeira que eram do pai em criança. 

Marcou consulta porque tem algumas dúvidas relativamente à forma como procede com os netos e com a gestão e equilíbrio de regras, autoridade e brincadeira. Revela: - Agora sou avó, não sou mãe, mas também não quero estragar ou dificultar o trabalho dos pais... Os avós costumam fazê-lo, às vezes, mas eu quero ter aconselhamento para o evitar. 

sábado, 11 de julho de 2015

Medos na Infância


Mamã e papá, posso ficar na vossa cama? Não gosto do escuro.

Não vos quero perder nunca. Ficam sempre comigo?

Dói-me a barriga... Acho que é do teste que vou ter amanhã.

O medo faz parte do desenvolvimento – há medos esperados e que têm um efeito normativo e estruturante. É por isso importante que, durante os primeiros anos de vida da criança, se compreenda que a existência de receios é previsível. 

No primeiro ano de vida é comum o bebé sentir medo de ruídos muito fortes e de alturas. Também nesta fase pode começar a assisitr-se ao receio de separação das figuras de vinculação – cuidadores de referência para a criança com que foi estabelecido um forte laço afectivo. Posteriormente, podem surgir medos de tempestades naturais e de pequenos animais. Na idade pré-escolar é comum encontrar crianças com medo do escuro, de seres imaginários (monstros, bruxas ou fantasmas) e de ficarem sós (medo da morte dos pais). À medida que a criança cresce, e se aproxima da adolescência, surgem receios mais abstratos, muitas vezes associados a situações sociais – avaliações, relacionamentos, guerras. 

Como apoiar as crianças, e ajudá-las a lidar com os seus receios? 

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Puré de maçã, pera e manga

Qualquer peça de fruta faz as delícia do pequeno FM!

Por isso, os pequenos lanches/sobremesa do bebé são muitas vezes um puré de fruta.

Se quiserem servir este puré para como lanche principal do bebé (e não apenas como fruta/sobremesa), podem adicionar um iogurte natural ou duas colheres de farinha de arroz e envolver no puré de fruta até obter um creme homogêneo.

Aqui fica mais uma sugestão!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...